O Arcanjo Rebelde e seus Mistérios – Por Mário Amazonas Guimarães

Dizia o Mestre Henrique José de Souza: “Devemos fazer luz sobre tudo aquilo que o povo desconhece”. Portanto, ao iniciarmos o nosso estudo, que diz respeito ao ARCANJO REBELDE, LÚCIFER, e seus mistérios, queiram os Deuses que possamos demonstrar que sobre o referido Arcanjo foram cometidas as maiores injustiças que a ignóbil maldade humana concebeu e praticou. Também pudera! Se crucificaram o próprio Filho de Deus, o que não fariam com o suposto inimigo do referido Deus? Mas, diz o ditado popular: “O Diabo não é tão feio como se pinta”. A este respeito é que vai corresponder o espírito deste nosso estudo, porque faremos uma síntese para todos aqueles cujos valores espirituais os trouxeram até aqui, para lerem a abordagem que faremos sobre um tema tão vital, tema que criou o germe de quantas filosofias já frutificaram no seio dos povos, e que sempre gerou a dúvida sofrida por todo o homem de pensamento, sob a influência de todos os climas, em todas as épocas e, por que não dizer, em cada problemática da sua peregrinação, ou seja, o Mistério do Bem e do Mal, ou o cruel dualismo que se manifesta na vida de cada ser humano.

No entanto, os próprios designativos que nas várias tradições e idiomas vieram a ser atribuídos a esse hipotético Ser, já permitem ao pesquisador isento induzir a sua verdadeira e transcendental natureza e função.

Veja-se, por exemplo, sob a análise etimológica, a expressão:

DIABO – formado pela contracção do termo (latino) DEO + o radical AB (sânscrito) = Primeiro, significando o termo literalmente: o Deus Primeiro ou Primordial.

SATANÁS (do sânscrito) = SAT = AqueleAquilo, etc. (como Causa Una manifestada) + UR = Fogo + ANÁS = Veste. Portanto, literalmente: Aquele que tem as Vestes Ígneas (aqui como alusão a “AGNI”, o Fogo Sagrado, e também ao Mental, que gera todas as coisas). Daí o designativo:

LÚCIFER = LUX (Luz) + FERO (Carregar), termos latinos. Ou seja: o Portador da Luz (aqui como Mental, Inteligência, etc.).

SATAN – SAT + OM, contracção da Palavra sagrada AUM, representativa dos 3 Mundos, etc., significando alegoricamente: Aquele (UNO) manifestado nos 3 MundosTronos, etc.

Melhor do que possa conceber toda a riqueza da retórica humana, assim expressa um fragmento de antiquíssimo livro, o Sutra-Dharma, a grandiosidade desse eterno choque ou jogo entre as duas Forças Cósmicas, indispensáveis à própria Evolução Universal:

Os dois existem. Um como Espírito, outro como Matéria… nenhum dos dois se entendem, porque um anda em busca do outro. O que está em baixo, nunca sobe… O que está em cima, desce sempre para salvar a sua “Sombra”, sob a tutela do Divino.

A Um sobra esta parte, e a Outro, esta falta…

O verdadeiro sentido esotérico acerca de Satan e a opinião que sobre o assunto tinham as filosofias antigas, acham-se admiravelmente apresentados em um apêndice intitulado O Segredo de Satã, 2.ª edição, de Perfect Way, do Dr. A. Kinsford (página 214):

No Sétimo Dia (ou o da Criação) produziu-se da presença de Deus um Anjo poderoso, cheio de ardimento, e Deus lhe deu o domínio da Esfera extrema. A eternidade produziu o tempo; o ilimitado deu nascimento ao limitado; o SER desceu à geração. Entre os Deuses não há nenhum que se assemelhe àquele em cujas mãos estão depositados o Reino, o Poder e a Glória dos Mundos, pois, como diz Hermes, Satan é o Guardião da Porta do Templo do Rei, e no pórtico de Salomão estão guardadas as Chaves do Santuário, para que não penetre nele profano algum, mas tão-somente os Ungidos que possuem o Arcano de Hermes. Temei-o e não pequeis; pronunciai tremendo o seu nome, pois Satan é o magistrado da Justiça de Deus. Ele tem nas suas mãos a Balança e a Espada… Satan é, em suma, o Ministro de Deus, o Senhor das Sete Mansões do Hades e o Anjo dos Mundos manifestados.

Somente as religiões exotéricas é que ignoram que o LOGOS é o doador do Mental e da Sabedoria (Lúcifer ou Satan). “Satan é o deus do nosso planeta”, representa o Deus Único, e isto sem qualquer sombra de perversidade, pois é UNO com o LOGOS. Portanto, quando os religiosos maldizem a Satan, maldizem o reflexo cósmico de Deus na Terra.

Sabemos, por outro lado, que existe cosmicamente UM MOMENTO EM QUE SAINDO A CAUSA UNA (ou Unidade Primordial) DO SEU ESTADO DE DESCANSO (Pralaya) ou Imanifestação, ao iniciar-se uma nova Etapa ou grande Ciclo evolutivo entram esses dois Aspectos (Bem e Mal) em simultânea e necessária actividade.

Eis aí o instante em que um Luzeiro (Dhyan-ChoanIshwaraArcanjo, etc.) passa a actuar no Mundo manifestado, assumindo o papel e função de Opositor, necessário pólo de confronto ou contraste com o Princípio Criador, Positivo. Embora esse metabolismo possua particularidades próprias a cada um dos estágios evolutivos, essa condição representa aquilo que, genericamente, pode-se chamar de “Queda do Espírito na Matéria”, o que tanto vale por um Luzeiro, com toda a sua série tulkuística imediata (compondo a sua própria Jerarquia), desligando-se transitoriamente da sua Consciência Divina para passar a actuar “cegamente” nos Planos inferiores ou mais densos da Criação.

Com isso, veio a suceder um facto que as antigas tradições registam com o nome de “Queda dos Anjos”, a Taraka Raja Maya (a alegórica “Guerra nos Céus”) da tradição hindu, etc., ou mais precisamente a chamada “Queda dos Assuras”, embora que em verdade a referida “Queda” ou projecção nos Planos mais densos do Sistema fosse do Superior sideral imediato dos mesmos Assuras, ou seja, o QUINTO SENHOR ou Luzeiro.

No já referido livro Sutra-Dharma, relata-se que o SENHOR DOS ASSURAS (os Assuras são os Seres que inciaram a Evolução na 1.ª Cadeia Planetária), LUZBEL, tendo ideias próprias relativamente à orientação a ser dada aos seres da Terra, sonegou o seu trabalho ao Eterno, sendo consequentemente projectado (ou expulso), com as suas Hostes Divinas, do Mundo Superior para o novo Mundo que surgia das regiões mais densas do Sistema.

Embora perdendo temporariamente a sua Consciência Divina e as suas dignidades, Ele veio a adoptar no Mundo Humano o patronímico de LÚCIFER. Literalmente: Aquele que carrega a Luz, o Portador do Facho, mas na verdade a Luz da Inteligência, do MENTAL a ser desenvolvido pelos seres da Terra até ás fronteiras do seu último estágio, o Mental SuperiorAbstracto, como pródromo da etapa seguinte, a Intuição ou Budhiapanágio do 6.º Luzeiro.

Veja-se, por exemplo, como até o Apocalipse, livro canónico de grande credibilidade, não é bastante explícito, chegando mesmo às fronteiras da infantilidade, quando fala a respeito de Satan (Apoc. 12:7-9, que relata a “QUEDA”):

E houve batalha no céu, Miguel e os seus Anjos combateram com o Dragão, e o Dragão e os seus Anjos combateram, mas não conseguiram levar a melhor e daí por diante no céu não houve lugar para eles. E o grande Dragão, a antiga Serpente, o sedutor do mundo inteiro, foi precipitado sobre a Terra e com ele foram precipitados os seus Anjos. Em seguida, fala que o acusador dos nossos irmãos, que dia e noite os acusava perante Deus, foi precipitado.

De qualquer forma, embora exista sobre o facto uma Maya deliberada lançada pelos Grandes Iniciados de todas épocas, remanesce bessa instância a ideia de haver ocorrido uma sonegação ou rebeldia contra a determinação da Lei em completar-se a Evolução interrompida na Lua (Cadeia), por entender o 5.º Luzeiro que as formas ou seres da Terra eram por demais vis e grosseiras para receberem a infusão do princípio Mental.

Consequentemente, a Lei veio a realizar um verdadeiro “Saque contra o Futuro”, lançando mão do seu 6.º Raio (luzeiro) AKBEL, o qual passou a assumir na Terra a função de pólo positivo ou construtivo, além de arcar com a responsabilidade de reconduzir o seu Irmão (o QUINTO) ao Trono que lhe pertence, destarte passando este último a personificar o pólo opositor, com as consequências e implicações já vistas.

Toda essa problemática, relatando a fussão dos ASSURAS com as chamadas “filhas dos homens”, a Humanidade incipiente, e as causas verdadeiras da chamada “Queda dos Anjos”, estão registadas em várias tradições, folclores, mitologias e livros sagrados, dentre eles o famoso LIVRO DE ENOCH, em seu capítulo VI, texto esse que os judeus e a própria Igreja Católica esconderam tendo-o retirado do contexto dos seus respectivos livros sagrados.

LÚCIFER

Começamos por dizer que LÚCIFER significa o Portador da Luz, da Inteligência, da Sabedoria; é o Divino Rebelde, que através de idades sem conta gerou e manifestou o poder obstaculizante, a fim de gerar na alma humana a força propulsora do progresso e da evolução, força essa animou a todos os génios, guias e inspiradores da Humanidade. Lúcifer é o Arcanjo que tendo se sacrificado no Cáucaso da vida física ou nos Mundos mais concretos da Manifestação Universal, houve por bem brandir a Espada do Conhecimento Superior, a fim de libertar as humanas criaturas do abutre das paixões grosseiras, das negativas inércias, da ignorância e dos seus filhos morbosos: a superstição e o fanatismo.

De acordo com os ensinamentos da Sabedoria Iniciática das Idades ou Ciência Esotérica, Lúcifer não é o ANTI-CRISTO.

O ANTI-CRISTO

Este é o fruto, o resultado, a síntese das emoções e pensamentos maléficos de toda a Humanidade. Mas, para demonstrar o que acabamos de afirmar, teremos que nos reportar a esses mesmos ensinamentos, para dizer que o pensamento é força cósmica manipulada pelas Hierarquias Criadoras, responsáveis pela criação de tudo quanto existe nos Planos da Manifestação Universal. Portanto, tudo quanto existe foi precedido pelo pensamento.

Para melhor compreensão da actuação dessa força nos seres humanos, diremos o seguinte: assim como o gerador não é a energia, nem a música o instrumento musical, nem a lâmpada a luz, do mesmo modo o pensamento não é o cérebro, mas este o transmissor e receptor dessa força, que na etapa actual da Evolução se manifesta nos seres humanos como pensamento, gerador da inteligência em suas várias gradações. O cérebro humano é, portanto, uma antena que capta também pensamentos de seres encarnados e desencarnados que estejam vibrando na mesma faixa de interesses e propósitos. Se carregado de maus pensamentos, tornar-se-á instrumento de mortíferas energias condensadas na atmosfera, pela baixa condição espiritual dos seres humanos. Sabemos que o Espírito Humano está terminando a etapa evolutiva da Quinta Sub-Raça da Quinta Raça-Mãe Ariana, cujo estado de consciência da Humanidade inteira é o Psicomental, isto é, o mental Concreto intimamente ligado ao Corpo Emocional. Portanto, a Hierarquia Humana ainda é mais brutalizada do que propriamente humanizada, razão pela qual ainda existe a inveja, o orgulho, a vaidade, o egoísmo, o ciúme, a avareza, enfim, todas as imperfeições da alma humana que impedem a sua marcha ascensional para um futuro melhor.

Nestas condições, cada ser humano, pensando e sentindo a já referida ordem de pensamentos e sentimentos, percorrendo em ondas vibratórias o oceano infinito da Matéria Substancial que constitui os Planos Universais, eles adquirem vida e forma que lhes são dadas pelos Elementais – forças plasmadoras da Matéria – que passam a ser Elementares, por terem sido criados pelo pensamento humano (a continuidade das mesmas ordens de pensamentos e sentimentos), no caso, maléficos, que gerados pela Humanidade durante milhares e milhares de anos deram como resultado poderosíssimas Egrégoras (entidades psicomentais criadas pela colectividade), verdadeiras centrais de energia psicomental. A unificação de todas essas Egrégoras maléficas é que passou a constituir ou a formar o Buda Negro do Oriente e o Anti-Cristo do Ocidente. Este é, portanto, o fruto dos pensamentos e dos sentimentos maléficos, principalmente dos religiosos supersticiosos e fanáticos que o alimentam a todo o instante e a toda a hora, como ensinam os maus Pastores ou Pastores sombrios, Pastófaros ou Condutores do Gado Humano.

Se Lúcifer, como o Portador da Inteligência e Eterno Rebelde porque sempre se rebelou contra a estupidez e a ignorância humana, lançou mão dessas Egrégoras e lançou-as contra a Humanidade, manifestando-se como Justiça Universal, isto os religiosos não discutem.

O QUE NOS REVELAM ALGUMAS TRADIÇÕES

Somente as pecadoras religiões exotéricas é que ignoram – ou os seus falsos sacerdotes ávidos de dinheiro e de poder fingem ignorar – que o LOGOS é Sabedoria e também Lúcifer ou Satan. “Satan é o Deus do nosso planeta e o Deus único, e por isso sem sombra alguma, nem metáfora de perversidade, pois é uno com o LOGOS. Portanto, quando os religiosos maldizem a Satan, maldizem o reflexo cósmico de DEUS, anatematizam DEUS manifestado na Matéria ou no Objectivo; maldizem a Sabedoria para sempre incompreensível, revelada como LUZ e SOMBRA, BEM e MAL na Natureza, na única forma compreensível à limitada inteligência do Género Humano”. Todos os cabalistas e simbologistas demonstram suma repugnância a confessar a “Queda dos Anjos”, desde que os teólogos inventaram o Demónio colocando um véu teológico entre a Humanidade e Lúcifer, a DIVINA ESTRELA, ou seja, o FILHO DA MANHÃ, indo criar o mais gigantesco de todos os paradoxos: uma Luz Tenebrosa e Negra.

Todas as tradições religiosas, inclusive a Bíblia, desde o Génese ao Apocalipse, são unânimes em afirmar que a “Queda dos Anjos” deveu-se ao orgulho, ambição e vaidade do Arcanjo Rebelde. Assim sendo, lançando-se mãos dos ensinamentos da Ciência Esotérica, poderemos esclarecer que os citados sentimentos que fazem parte da imperfeita personalidade humana, não podem ser atribuídos a uma CONSCIÊNCIA CÓSMICA; que tal facto ocorreu e ocorre devido à incapacidade das humanas criaturas em compreenderem a Missão de que foi investido, pelo próprio LOGOS-DEUS, tão Excelso SER. Essa incapacidade a que nos referimos é a de perceber a diferença de naturezas: enquanto o ser humano evolui seguindo a linha da transitoriedade das formas, isto é, NASCE, CRESCE, MORRE, Lúcifer é eterno. No entanto, apesar de estar muito acima da linha traçada para a evolução da Hierarquia Humana, a responsabilidade da sua Missão junto à referida Hierarquia levou-o a influenciar de tal maneira o Espírito Humano que este viu-se arrastado para uma dualidade poderosa, que poderá receber o nome de Luta SIM e NÃO, BEM e MAL, pois que é CAINDO E LEVANTANDO QUE SE REALIZA A EVOLUÇÃO, libertando-se das trevas da ignorância para alcançar a Luz da Sabedoria.

A ignorância dos sacerdotes pecadores é que deu origem a todas as formas imensamente horrorosas que erroneamente se atribuem a LÚCIFER, enquanto outros mais evoluídos o consideram ALTIVO E BELO, de uma beleza supraterrena, de porte altivo e majestoso. Contudo, a bem da verdade, devemos esclarecer que, por diferença de natureza, olhar humano algum jamais o contemplou.

Quando Jeoshua, o Jesus bíblico, afirma: “Vi Satan cair do Céu como um Raio” (Lucas, 10:18), é uma simples declaração dos seus poderes clarividentes e uma referência à encarnação do Raio Divino.

O estudante da Sabedoria Iniciática das Idades compreende que as massas populares necessitam de um freio moral, porque o ser humano está sempre ansioso de um Céu, de um Paraíso, e não pode viver sem um ideal qualquer que lhe sirva de fanal e consolo. Mas neste difícil momento de transição de um Ciclo para outro e o início da Civilização Aquariana, quando começará o destronamento do “Deus de cada país e a proclamação da Única e Universal Divindade”, é justo dizer-se que se a religião em determinados períodos históricos serviu de armadura protectora para o ser humano em sua evolução, também é justo dizer-se que foi a pior capa, pois bitolou, dogmatizou a alma humana, impedindo o desenvolvimento mental da Humanidade. Contra essa capa de hipocrisia, tecida pela mão velhaca dos falsos sacerdotes, ávidos de domínio e poderio, muitos dos quais na época actual fizeram do sacerdócio um emprego, os grandes pensadores sempre lutaram, opondo-se aos supostos demónios.

Todas as religiões exotéricas deturparam a Verdade Primitiva que foi ensinada por todos os Avataras cíclicos que, diga-se de passagem, nenhum deles fundou religião alguma. “Todas elas foram fundadas pelo interesse mercantil dos seus falsos sacerdotes”. Queremos com isto dar uma conceituação exacta, correcta e nítida a respeito do Grande Espírito de Luz.

Mas o sistema cristão não é o único a ter degradado esses Deuses em Demónios (os Suras ou Deuses em Assuras ou não-Deuses). O Zoroastrismo e ainda o Brahmanismo aproveitaram-se disso para impor-se à mente do povo e escravizá-la. O que Jeoshua falava às mentes e aos corações dos convertidos à antiga Religião-Sabedoria – que outra não é senão a sempre eterna e renovadora Ciência Esotérica – apresentada com nova forma pelo respectivo Avatara, tais ensinamentos por ele transmitidos acabaram sendo desfigurados a ponto de hoje não serem reconhecíveis, do mesmo modo que a sua própria personalidade, estruturados para serem amoldados ao mais cruel e pernicioso dos dogmas teológicos. O próprio Apocalipse (12:7-9), no trecho que já descrito a respeito de Satan, não é explícito, e a simplicidade da narração não nos parece clara como deveria ser. Senão, vejamos:

  1. a) Por que razão o Arcanjo Miguel ou Mikael, juntamente com os seus Anjos, usaram a força para derrotar o Diabo?
  2. b) Será que Deus, que é Omnipresente, Omnisciente e Omnipotente, não poderia ter evitado a luta e com um só gesto da sua Vontade ter afastado o Rebelde?
  3. c) Se Deus é Omnisciente, sabia que o epílogo da batalha lhe seria favorável; e se não sabia, o que teria ocorrido se as Milícias de Lúcifer vencessem as de Mikael?
  4. d) A maioria das tradições afirma que Lúcifer foi precipitado no Abismo, nas Trevas, que posteriormente se denominou de Inferno. No entanto, o Apocalipse afirma o contrário, isto é, que o Diabo, o Dragão, juntamente com os seus seguidores, foi precipitado sobre a Terra. É justo relacionar a Terra, onde Satan é o príncipe, com o Inferno?

Essas perguntas poderão ser respondidas quando dissertarmos a respeito de

LÚCIFER À LUZ DA SABEDORIA INICIÁTICA DAS IDADES

Na sua maravilhosa obra A Doutrina Secreta, diz a Mestra Helena Petrovna Blavatsky: “Ou aceitamos a emanação do Bem e do Mal, como ramos do mesmo tronco da Árvore da Existência, ou teremos que nos resignar ao absurdo de CRER em dois ABSOLUTOS ETERNOS”. Para que possamos tentar interpretar tão sábios ensinamentos, teremos que lançar mãos de dois ramos da Ciência Esotérica, ou sejam, a COSMOGÉNESE – Origem dos Cosmos – e a ANTROPOGÉNESE – Origem do Homem – como ciências que, acreditamos, serão ensinadas nas universidades do Futuro, porque somente através delas, pelo menos de maneira geral, poderá saber quem foi, de onde veio e para onde vai.

Suponhamos que houvesse um desequilíbrio na correlação das forças cósmicas, um desequilíbrio na mecânica celeste, e que esse desequilíbrio provocasse uma catástrofe cósmica que fizesse desaparecer a Terra, a Lua, o Sol, as estrelas, os cometas, a poeira sideral, o som, a vibração, a luz, enfim, desaparecesse tudo, absolutamente tudo. Ficaria o quê? Nada ou a Não Existência. A esta Não Existência é que Moisés, usando o linguajar da época, chamou de “Águas do Abismo”, e actualmente a Sabedoria Iniciática das Idades denomina de Substância Primordial. Este Substância é alguma coisa, porém, na actual etapa evolutiva é incompreensível, mesmo para o ser humano considerado sábio. Todavia, a Ciência Esotérica ensina que inerentes a essa Não Existência ou Substância Primordial sub-existem três Leis fundamentais, ou sejam: LEI CÍCLICA, LEI DA POLARIDADE, LEI DA EVOLUÇÃO. Portanto, obedecendo à LEI CÍCLICA, a Não Existência passa a ser Existência, o não Ser passa a Ser. Usando a linguagem do Dr. A. Kinsford: “A Eternidade produziu o Tempo; o ILIMITADO deu nascimento ao LIMITADO”.

Neste ponto, todas as grandes religiões são unânimes ao afirmar que quando esse Algo surgiu, do ILIMITADO para o LIMITADO, fê-lo de forma Trina. É OSÍRIS, HÓRUS E ÍSIS para os egípcios; BRAHMA, VISHNU E SHIVA para os hindus; PAI, FILHO E ESPÍRITO SANTO para os cristãos; PACHACAMAC, VIRACOCHA E INTI para os incas; o SUPREMO ARQUITECTO para os maçons; o SAGRADO PELICANO para os rosacruzes; o LOGOS para os gregos, enfim, é DEUS no seu Aspecto Cósmico.

Diz a Tradição Oculta que do Uno-Trino surgiram os Sete Auto-Gerados, que são Sete Consciências Cósmicas que vão criar os Mundos, os seres, as coisas, as multidões. Cada uma dessas Consciências cria o seu próprio Mundo e nele se infunde; isto é, o DEUS MANIFESTADO na Natureza como VIDA-ENERGIA da respectiva CADEIA. Quando isso ocorre, quando o ARCANJO está manifestado, constituindo o próprio Corpo da Cadeia em evolução, é sempre orientado espiritualmente pelo ARCANJO que vem a seguir, na escala cronológica de Um a Sete, com excepção da primeira Cadeia que foi orientada pelo próprio SUPREMO ARQUITECTO. Daí a Tradição dizer que a primeira Cadeia é filha das Trevas ou das Noites de Brahma. Por exemplo, a primeira Cadeia foi orientada pelo Supremo Arquitecto norteando o 1.º Arcanjo; a segunda Cadeia foi orientada pelo 2.º Arcanjo norteado pelo 3.º Arcanjo; a terceira Cadeia foi dirigida pelo 3.º Arcanjo norteado pelo 4.º Arcanjo. A quarta Cadeia deveria ter o 4.º a ser dirigido pelo 5.º, o que não ocorreu (daí a origem de todos os mistérios relacionados com Lúcifer). A quinta Cadeia pelo 6.º, a sexta Cadeia pelo 7.º e a sétima Cadeia pelo Supremo Arquitecto, DEUS. É a Manifestação voltando à sua Origem, ou a serpente mordendo a própria cauda na simbologia tradicional.

Devido às grandes dificuldades encontradas pelo 4.º Arcanjo junto do Dirigente Espiritual da 3.ª Cadeia, a imediata Cadeia Terrestre iniciou a sua evolução precocemente com bastante deficiência evolucional, razão pela qual na presente 4.ª Ronda da referida Cadeia as duas primeiras Raças-Mães – POLAR e HIPERBÓREA – não tiveram desenvolvimento do estado de consciência, apenas se transformaram.

Como poderia, então, o Portador da Luz, o Senhor da Inteligência, do Mental, encarnar juntamente com os seus Anjos nessas formas primitivas, as quais não correspondiam ao seu estado de Consciência? Aí está a razão da revolta, da batalha travada nos céus e da posterior queda dos Anjos de que nos falam as tradições religiosas, as quais, diga-se de passagem, são muito mal interpretadas. Mas nos meados da terceira Raça-Mãe LEMURIANA, quando a Onda de Vida que alimenta a Cadeia Terrestre chegou ao máximo de densificação, houve necessidade que o pólo espiritual se manifestasse em toda a sua potência, o que ocorreu com a vinda para a Terra dos 6.º e 7.º Arcanjos, e que forçou a descida do 5.º, após a batalha travada com o ARCANJO MIKAEL, o que levou milhões de anos depois o Avatara de Piscis a dizer: “Vi Satan cair do Céu como um Raio”.

Com a vinda das já citadas Consciências Cósmicas para o Globo Terrestre, ocorreram grandes modificações que vieram a beneficiar a nascente Humanidade. A sua consciência, que estava focada no sistema neurovegetativo, passou a desenvolver-se juntamente com o cérebro-espinhal para o desenvolvimento do Mental, que é a tónica do Divino Rebelde. Sabemos que a polaridade existe em toda a Natureza, no entanto era necessário que essa polaridade se fizesse consciente no aspecto humano para o pleno desenvolvimento do Mental Concreto, porque só neste estado de consciência é que se concebe o que seja Bem e o que seja Mal. A polaridade foi firmada, ficando o pólo positivo da Evolução com o 6.º Arcanjo e o pólo negativo com o 5.º Arcanjo – Lúcifer – e que deveria durar até ao pleno desenvolvimento do Mental Concreto. Lúcifer e o seu Irmão, o 6.º Arcanjo, passaram a ser os dois pólos através dos quais girou toda a evolução da criatura humana. “Sem a actuação desses dois pólos o ser humano seria um simples autómato estático, mas não um realizador dinâmico do seu destino”. Enquanto o pólo positivo, através dos seus Avataras, lançava as directrizes evolucionais de acordo com as necessidades cíclicas, inspirando, orientando e amparando as humanas criaturas pela tortuosa vereda evolucional, o pólo negativo, Lúcifer, através da tentação e do poder obstaculizante, tentava o ser humano em evolução, a fim de despertar-lhe a força de vontade, a persistência, a atenção, para poder alcançar admiravelmente a evolução espiritual.

“A história da tentação no Paraíso contada pela Bíblia mostra o efeito da entrada do princípio Lúcifer, quando expõe simbolicamente como, por meio da tentação, foram postas à prova a força e a persistência do par humano. Os que não venceram tal princípio, o da tentação, e que ficaram à margem da Evolução, somente eles é que apresentam os efeitos do referido princípio com as características da vulgaridade e da infâmia, fazendo com que o Divino Rebelde veja nessas criaturas apenas seres que merecem exclusivamente a destruição, e não o amor e o cuidado”, teve ocasião de dizer um Membro da Fraternidade Branca, acrescentando: “Tenho horror a tudo que seja corriqueiro e vulgar”. O atrito entre esses dois pólos – positivo e negativo – actuando na alma humana, criando a harmonia dos opostos, e que veio a ser a causa do desenvolvimento Mental Concreto das criaturas humanas, foi sempre uma realização paradoxal, realizada pela luta evolucional travada entre Lúcifer e o seu Irmão, o 6.º Arcanjo, no campo de batalha da Humanidade.

Disse o Excelso Mestre Henrique José de Souza: “O Mal perseguindo o Bem, ambas caminham para a Neutralidade”. Portanto, a consciência do Bem e do Mal existentes na consciência humana, faz parte do plano evolucional, muito embora a prática do Bem proporcione felicidade, enquanto a prática do Mal proporcione infelicidade, mas servindo como experiência, embora dolorosa, para o Espírito Humano em evolução, porque é entre altos e baixos, entre luzes e trevas, que a Lei Evolucional se faz sentir.

Conforme dizem algumas tradições, o Divino Rebelde, Lúcifer, foi investido pelo próprio LOGOS-DEUS da dolorosa e incompreendida Missão de testar o ser humano, criar obstáculos evolucionais, a fim de que o mesmo ser humano pudesse distinguir o Bem do Mal, e com isso ganhar o desenvolvimento do estado de consciência Mental Concreto. Os meios usados pelo Divino Rebelde, para dar cumprimento à sua Missão, são assuntos que dizem respeito à Consciência Cósmica e jamais poderão ser entendidos por uma vulgar consciência humana. O desenvolvimento do Mental Concreto começou muito antes da catástrofe atlante, desenvolveu-se em todo o desenrolar da presente quinta Raça-Mãe ARIANA, onde teve papel preponderante a dinâmica do ARCANJO REBELDE, e está chegando ao seu final.

Desde o Julgamento Cíclico de 1956, a Humanidade absolvida no referido Julgamento, ainda que inconsciente, está ansiosa pela construção de um mundo melhor, mundo sem violência, sem crimes, sem miséria, sem desonestidade, sem corrupção, sem desamor. Com o advento da Civilização Aquariana e o desenvolvimento do MENTAL ABSTRACTO, o conceito de Bem e Mal, que até então serviu de mola propulsora para o desenvolvimento do Mental Concreto, deixará de existir e a polaridade cósmica no aspecto humano, que foi firmada pela influência dos 5.º e 6.º ARCANJOS, a qual formou a consciência humana, estará equilibrada e o ARCANJO REBELDE terá cumprido a sua Missão, quando, simbólica e realmente, os Dois Irmãos estarão bebendo na mesma Taça.

FINAL

Para finalizar, os Tempos esperados são chegados! Por isto, dizemos: dia virá em que a Humanidade inteira reconhecerá que se não houvesse o poder obstaculizante ela, Humanidade, jamais chegaria ao ponto em que chegou.

Pretendemos, com os esclarecimentos que foram oferecidos, termos feito um acto de suma justiça, libertando os seres humanos do DIABO, ao mesmo tempo que livramos LÚCIFER da ignorância humana.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.