Fragmentos do Livro dos Mil Provérbios – Por Raimundo Lúlio (Ramon Llull)

Extraído da obra “O Livro dos Mil Provérbios”.

I – Da Devoção

  1. Estejamos alegres porque Deus é totalmente bom e completo.
  2. Porque Deus é melhor que tudo quanto existe, ama mais a Deus pela Sua bondade que pelo teu bem.
  3. Contra a bondade e a grandeza de Deus não desejes ser bom nem grande.
  4. Quanto mais freqüentemente lembrares e entenderes Deus, mais freqüentemente O amarás e O temerás.
  5. Quem mais teme a Deus do que O ama, mais ama a si mesmo que a Deus.
  6. Seja bom para que Deus tenha em ti boa obra.
  7. Não creias estar na graça de Deus se estás no pecado.
  8. Ama muito mais a obra que Deus tem em ti do que a obra que tu tens n’Ele.
  9. Mais bem podes fazer com Deus em um dia do que com ti mesmo em mil anos.
  10. Ama mais a Deus por Sua bondade que pela tua.
  11. Deus prega segundo as Suas condições e não segundo as tuas.
  12. Porque a Deus convém grandes obras, podes a Deus pedir grandes coisas.
  13. Conhece muito a Deus, para que muito O possas amar.
  14. Deus não ama as obras daquele que não ama as Suas obras.
  15. Aquele que briga com Deus é vencido.
  16. Se não tens bondade, não tenhas esperança em Deus.
  17. Busca o teu propósito no propósito de Deus.
  18. Busca teu poder no poder de Deus.
  19. Junta a fé e a companhia de Deus, para que não tenhas necessidades.
  20. Não creias honrar mais a Deus com os bens temporais que com os bens espirituais.

III – Do Príncipe

  1. A justiça do príncipe nutre o povo no amor e no temor.
  2. A justiça reluz no príncipe e a lealdade no povo.
  3. A maldade do príncipe faz muito mal à lealdade do povo.
  4. O povo dividido dá poder ao príncipe malvado.
  5. O poder do príncipe é instrumento da finalidade do povo.
  6. A ira do mau príncipe e a deslealdade do povo são irmãs.
  7. A verdade do príncipe e a lealdade do povo são primas.
  8. Há paz naquele reino onde o amor do príncipe e o amor do povo são vizinhos.
  9. A linhagem antiga do príncipe cura a doentia lealdade do povo.
  10. Os novos costumes enfraquecem a antiguidade do príncipe e do povo.
  11. Da maldade do príncipe nasce a maldade do povo; e da maldade do povo nasce a novidade do príncipe.
  12. O príncipe que é contra a finalidade de seu povo é contra a sua própria finalidade.
  13. Não existe nenhum remédio para a contrariedade que surge entre o príncipe e seu povo.
  14. A concordância que existe entre o príncipe e seu povo é totalmente sã.
  15. Antes fuja do mau príncipe que de uma serpente.
  16. Antes fuja do mau povo que do mau príncipe.
  17. O príncipe que faz mal ao povo faz por si mesmo grande injúria a Deus.
  18. Entre o amor e o poder que existe entre o príncipe e seu povo não inicies confronto.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.